domingo, 9 de novembro de 2014

Eterno.

Eterno.
Sou seu filho eternidade, pois nas marcas feitas neste pedaço de papel sem importância, imortalizo meus sonhos, meus amores, sou eu herdeiro pois a alma eterna que de tua beleza nasceu marcou seu tempo com seus sentimentos.
Mais serei eu eterno, nos corações daqueles a quem toquei, estarei em cada esquina, em cada beco, pois nas paredes das metrópoles meus seguidores me lembrarão.
Sou seu filho eternidade, pois não haverá como me esquecerem, pois estarei em seus olhos, ouvidos, corações, não mais poderão me deixa pois de suas vidas me torneis parte, e mesmo quando não souberem que ali estou, ditarei seus caminhos na vida e na morte.
Quem sou? Sou eu seu filho eternidade, sou eu verso, sou prosa, sou eu musica, poesia, sou eu a magia que aos amantes serve como virtude, e que aos letrados instrumento, eu sou sua língua não importa qual seja ela, sou seus rabiscos, garranchos e desenhos, esses amassados e atirados numa cestinha de lixo, sou... sou a grafite que colore o cinza e negros da cidades.
Eterno pois sou o que você é.

B.M.

Nenhum comentário:

Postar um comentário